Adalberto Baptista e René Simões explicam a chegada do treinador ao São Paulo

O blog do Gabriel Fuhrmann foi o primeiro a anunciar a chegada de René Simões no São Paulo, através do twitter @gabrielfuh_, às 19h20 desta quinta-feira. Agora, um dia após a negociação concluída e também depois de conversar com René e o diretor de futebol Adalberto Baptista, o blog traz alguns detalhes da negociação e do que será o trabalho do treinador no tricolor.

- O que Renê Simões fará no São Paulo? René Simões chega ao São Paulo como diretor técnico, uma função que ainda não existia no clube, portanto ninguém perderá o emprego por causa da sua chegada. O coordenador do futebol de base continuará sendo o Marcelo Lima e Marcos Tadeu segue como diretor. Ele não cuidará apenas do futebol de base, mas do São Paulo como um todo, em uma função nova.

“Eu serei diretor técnico do São Paulo. É uma função que ainda não existe nos clubes e faz algum tempo que eu tenho pensado nela e na sua importância. Vou trabalhar no São Paulo como um todo, mas nos primeiros dois anos o foco do meu projeto vai ser a base”, disse René Simões.

“O trabalho de René passará por etapas. Primeiro a base, depois a integração da base com o profissional e depois ele cuidará do São Paulo como um todo. É um cargo que ainda não existia no São Paulo, mas que o presidente Juvenal Juvêncio já pensava fazia algum tempo”, disse Adalberto Baptista.

- Início de trabalho ainda indefinido. O começo do trabalho ainda não está muito certo. René Simões acabou de ser contratado e os detalhes do projeto devem levar algum tempo para serem desenvolvidos.

“Primeiro eu quero conhecer a fundo o São Paulo. Entender como o clube funciona em Cotia, em tudo. Tenho muitos projetos em mente, venho pensando nessa mudança na minha carreira faz algum tempo, mas antes de tudo eu preciso conhecer o São Paulo”, disse René Simões.

“Ainda é cedo pra dizer como o projeto vai se desenvolver. Ele acabou de ser contratado. Não dá pra falar muita coisa ainda”, disse Adalberto Baptista.

- Tornar-se o Barcelona do Brasil! René Simões viajará para Barcelona após o carnaval e passará dez dias observando a equipe catalã e como ela desenvolve seus trabalhos. A ideia não é copiar o Barcelona, mas absorver e entender como o projeto deles, que já tem 20 anos de duração, foi tão bem sucedido.

“Vou viajar para Barcelona e quero estudar o projeto deles. Quero entender o que eles fizeram para dar certo por tanto tempo. O que for bom e possível de implantar, é claro que eu quero colocar em prática no São Paulo, mas ainda não dá pra dizer”, disse René Simões.

- De treinador a dirigente! Faz parte do contrato de René Simões não assumir, mesmo que interinamente qualquer equipe, seja profissional ou de base, segundo apuraram diversos jornalistas, incluindo Flávio Prado, que me passou a informação. O que dá um fim a especulação de que ele poderia assumir o time de juniores do tricolor, que é comandado por Zé Sérgio desde que Sérgio Baresi foi para o Paulista de Jundiaí. No entanto, segundo Adalberto Baptista, isso não impede que ele participe efetivamente dos times.

“Acredito que ele vá treinar de alguma maneira todas as categorias em um esquema de rodízio, auxiliando nossos atuais treinadores. Não é um cargo para ficar de terno e gravata, é para por a mão na massa, ir para o campo e ajudar em tudo. No entanto, ele acabou de ser contratado, não dá pra saber o que ele vai treinar ou como vai fazer. Vamos esperar e ver como o projeto vai se desenrolar”, comentou Adalberto Baptista.

Nome preferido! Segundo Adalberto Baptista, René Simões foi o principal nome que veio a mente dos diretores são-paulinos e do presidente Juvenal Juvêncio, desde que começou a ideia de ter um diretor técnico.

“Pela capacidade técnica e pelas experiências muito parecidas. É um treinador de grande qualidade e que já desempenhou papéis similares antes. Desde que o cargo foi designado ele é o nosso principal nome”, disse o diretor de futebol Adalberto Baptista.

- Negociação relâmpago! Todo mundo sabe que é assim que funciona. Quando as duas partes querem, não há novela. A negociação do São Paulo com René Simões foi feita na velocidade da luz. O clube procurou o treinador na quarta-feira e na quinta eles já assinaram.

“Procuramos o René anteontem (quarta-feira). Na quinta ele já veio pra São Paulo, conheceu Cotia, conheceu a equipe, o Morumbi e assinamos. Apesar da ideia e do cargo já estarem designados faz algum tempo, a negociação começou recentemente e teve desfecho rápido”, disse Adalberto Baptista.

Mudanças aceleradas por fracasso na Copa São Paulo! O São Paulo foi eliminado ainda na primeira fase da Copinha. Uma decepção e tanto para todos os envolvidos com a base são-paulina, que apostavam na equipe que chegou a ser campeã mundial sub-15. Adalberto Baptista confirmou a influência do mau desempenho nas mudanças no clube, mas garante que elas não são motivadas apenas por isso:

“A gente já pensava nesse novo cargo e em algumas outras mudanças bem antes da Copa São Paulo começar. O desempenho abaixo do esperado na competição apenas acelerou um processo que iria acontecer de qualquer maneira”.

 

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base.
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

2 Responses to Adalberto Baptista e René Simões explicam a chegada do treinador ao São Paulo

  1. antonio carlos damas says:

    Continuar com um Coordenador tipo MARCELO LIMA é burrice do clube, principalmente após esta contratação. Tem que acabar também é com as parcerias do Gerente de Futebol de Base, que tem empresários parceiros e que o clube desconhece. São muitos os cúmplices dentro da base.

  2. helder9 says:

    Muito bom!

    Parabéns pelo furo jornalistico e pela entrevista Gabriel.

    Sorte ao Renê, que faça um grande trabalho no Tricolor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>