Daniel Bessa – O “nosso” italiano

O Brasil é um país de muitos talentos no futebol e o natural é que boa parte deles faça sucesso em outras terras. Não são poucos os brasileiros que deixaram cedo o nosso país e agora são estrelas em equipes europeias e esse é o caso de Daniel Sartori Bessa, nascido em 1993, que é um dos mais promissores jogadores da Inter de Milão.

Daniel começou a sua carreira em um histórico time de futebol de salão do Coritiba. A equipe sub-11 conquistou tudo que poderia, tanto coletiva como individualmente. Junto com Daniel, estavam nomes como Lucas Piazon, hoje do Chelsea e Alex, atualmente no Internacional.

Infelizmente o Coritiba passou um período difícil, que acabou custando caro para a base. Quando o time paranaense caiu para a Série B, os investimentos na base também caíram e praticamente todos os jogadores migraram para outras equipes, principalmente para o rival, Atlético-PR.

Só deu tempo de Daniel jogar um torneio de expressão pelo sub-15 do Atlético-PR, a Copa Brasil Votorantim. Foi o suficiente para os olheiros da Inter de Milão se encantarem e chamarem o atleta para fazer parte da equipe.

A chegada na Inter de Milão não foi fácil, como Daniel contou em entrevista para este blogueiro: “Assim que cheguei na Itália eu fiquei seis meses sem jogar, só acertando a minha documentação. Quando terminou essa parte a temporada havia acabado. Cheguei no começo de 2008 e só entrei em campo em setembro”, contou o meio-campista. “Esse primeiro ano foi muito difícil, fui morar com os outros meninos da base e por muitas vezes eu pensei em desistir, pensei em voltar ao Brasil, mas tive o apoio da minha mãe e do meu irmão e eles não deixaram que isso acontecesse”.

O irmão de Daniel Bessa é Rafael Bessa, que já jogou pela seleção italiana de futsal.

Depois desse primeiro ano tudo ficou mais fácil. Com ótima visão de jogo, Daniel é um atleta de jogo coletivo. Tem uma chegada muito forte ao ataque e assim marca muitos gols.

E 2012 tem sido um ano de muito brilho para o meio-campista. Na Liga Primavera (sub-20), Daniel Bessa é o artilheiro isolado da equipe com dez gols e a Internazionale lidera o torneio com três pontos de vantagem.

Já na NextGen, considerada a Champions League da base, Daniel também é o artilheiro do time, com três gols e a equipe está na semifinal contra o Marselha.

Se já era considerado promissor antes, com esse desempenho Daniel Bessa entra na lista das maiores jóias da Inter e provavelmente volte a fazer parte de uma outra lista: a da convocação da seleção sub-19 e sub-21 da Itália.

Daniel chegou a ser convocado para a seleção sub-18, mas nunca disputou partidas oficiais com a camisa da Azzurra. Isso pode mudar ainda esse ano, já que o atleta tem cidadania italiana e pode sim reforçar a Itália, talvez até no Mundial de 2014.

Defender a Itália ou esperar uma chance com a amarelinha? Uma decisão difícil para o jovem. É bem verdade que a não convocação para as seleções de base do Brasil também se deve ao fato de Daniel ser de 1993 e o Brasil trabalhar com seleções para jogadores nascidos em anos pares, até pelo padrão dos torneios sul-americanos e mundiais.

“Eu fui convocado para a seleção italiana, mas ainda não disputei partidas oficiais. Para a seleção brasileira ainda não tive o prazer de ser chamado, mas ainda não decidi qual das duas defenderia, tem muita coisa pra acontecer ainda”, comentou Daniel.

Apesar de já estar na Itália desde 2008, Daniel não acredita que tenha perdido seu estilo brasileiro de jogar futebol: “O futebol aqui na Itália é bem difícil, talvez o mais difícil do mundo. Muita tática, correria. O futebol brasileiro é mais tranquilo, mais bonito, com mais gols”, disse Daniel. “Eu sai cedo do Brasil, mas joguei muito tempo ai também. Eu me adequei sim ao futebol italiano, mas ainda mantenho o meu estilo brasileiro de jogar, igual quando eu jogava por ai. Jogar aqui me fez perceber defeitos e aprimorar em partes que talvez eu não aprimorasse jogando ai, mas ainda tenho o jeito brasileiro”.

Brasileiro ou italiano, se eu fizesse parte da comissão da CBF passaria a ficar de olho nesse meio-campista ou podemos ter um Thiago Alcântara italiano aparecendo em muito breve e quem sabe, brilhando com outra camisa na Copa do Mundo do Brasil.

 

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base.
This entry was posted in Base no exterior, Uncategorized and tagged . Bookmark the permalink.

One Response to Daniel Bessa – O “nosso” italiano

  1. J.neto says:

    Olá, mechamo neto sou brasileiro, moro no brasil na cidade de fortaleza-Ce, tenho 17 anos, não sou jogador profissional, estou atrás de alguém de bom coração que possa estadando uma oportunidade amim de mostrar oque sei fazer de melhor que e jogar futebol, aqui estão algumas de minhas caracteristicas: Jogo de atacante, 1.84 altura, chuto com os dois pés, hábilidoso, rápido é etc…
    E-mail: neto_toc157@hotmail.com
    Telef: (85)87207674 ou 32741394

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>