Finalmente chegou a hora?

Sedento pelo título inédito o Palmeiras aposta na experiência para a Copa São Paulo e corre atrás do sonho do futebol de base, que nunca venceu a competição

A Copa São Paulo é um sonho antigo da diretoria de futebol amador do Palmeiras. Sem muita tradição, tanto revelando jogadores, como ganhando competições das categorias de base, a vitória nesse torneio, de uma geração que ganhou com mérito o Paulista sub-17 de 2011, seria a confirmação de que as coisas mudaram no Palestra.

A sede pela Copinha é tanta, que assim como o São Paulo os palestrinos não pouparam os jogadores que foram integrados ao elenco profissional (exceção ao volante João Denoni). Nem mesmo o auxiliar de Gilson Kleina, Narciso, campeão pelo Corinthians em 2012, ficou de fora dessa barca.

Atacante Vinicius será o nome dos gols do verdão

Com tantos reforços e muito mais experiência, o Palmeiras tem tudo para ir muito mais longe do que o ano anterior, no qual acabou parando nas quartas de final, em uma derrota sofrida por 4 a 3 para o Atlético-PR, do sensacional atacante Taiberson.

Embora baseada no time Campeão Paulista em 2011, muitas mudanças misturam o time entre jogadores nascidos entre 1993 e 1994.

Narciso mesclou bem a equipe, buscando formar o melhor time, mas como muitos jogadores estavam na Copinha anterior, os destaques serão basicamente os mesmos.

Diego Souza, que começou fazendo muito sucesso no São Paulo e inexplicavelmente foi dispensado depois de ter sido artilheiro do Paulista sub-15, segue como o motor do meio para o ataque. Sua velocidade impressiona e ele mais uma vez deve ser o principal nome.

Luiz Gustavo, o xerife da zaga, com diversas passagens pela Seleção, é um dos principais zagueiros da competição e mais uma vez dá segurança para os alviverdes. Já o meio-campista Bruno Dybal, um dos grandes destaques do Paulista sub-17 de 2011 e que tem encantado a todos no Palmeiras, vai ser o comandante do meio pra trás, além de coroar as apresentações com seus passes e chutes precisos.

A novidade é o atacante Vinicius, que chegou a jogar pelo time principal. Ele chega para a posição que ano passado foi precipitadamente dada ao jovem Hugo Ragelli.

Hugo, na época com 16 anos, vinha de uma lesão quando recebeu a camisa 9 e a responsabilidade de comandar o ataque palmeirense na Copinha. Esse ano esse peso cai em cima de Vinicius, um jogador bem mais experiente e mais técnico.

O banco de reservas também vem recheado de boas promessas. Bruno Sabiá é um meia de rara técnica e muita qualidade em todos os fundamentos. Com a calma e a destreza que poucas vezes vi em minha vida. Por preferência de Narciso amarga o banco, mas quando entrar deve mudar o ritmo da equipe.

Além dele, os laterais Cesinha e Lima foram grandes personagens do Paulista de 2011 e caso algo aconteça com os ótimos Bruno e Victor, com certeza serão substitutos a altura.

Narciso, mais experiente e já campeão, pegou mais pronta a equipe que Marcio Vicente começou a formar, mas que atingiu o limite ao conquistar o Paulista Sub-17 de 2011 (título que não vinha há quase 40 anos para o verdão). Será que com novo treinador e atletas mais experientes, finalmente chegou a hora do Palmeiras na Copinha?

 

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base.
This entry was posted in Copa São Paulo and tagged , , . Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>