Com dois filhos de campeões mundiais, Brasil busca tetra Sul-Americano sub-20

A Seleção começa no dia 10 de janeiro, contra o Equador, a caminhada para afirmar que é o maior da América do Sul na categoria sub-20

A Seleção Brasileira sub-20 começa uma árdua tarefa essa semana, para conquistar pela quarta vez consecutiva o título do Sul-Americano da categoria.

Em 2011 foi fácil. O Brasil apelou ao levar Neymar e Lucas e não teve muitas dificuldades para conquistar o título. Embora tenha tido uma derrota para a Argentina, um empate com a Bolívia e duas vitórias suadas contra o Equador, a final demonstrou a clara diferença de Neymar e cia para as outras seleções: 6 a 0 sobre o Uruguai.

Dessa vez o Brasil vem bem menos experiente, mas não quer dizer que esteja fraco. Talvez não demonstre a mesma força de 2011, mas é o time a ser batido na competição e tem dois nomes que chamam a atenção da grande mídia: Mattheus, filho de Bebeto e Rafinha, meia do Barcelona, que é filho do ex-jogador Mazinho.

A saída de Ney Franco para treinar o São Paulo e a mudança da comissão técnica da Seleção principal são dois reveses para os garotos. A chegada de Emerson Ávila, que foi campeão Sul-Americano sub-17 e quarto colocado no Mundial da mesma categoria pelo Brasil, traz uma escalação já com os “favoritos” da comissão.

O time que fará a estreia será: Gustavo, Wallace, Luan, Doria e Mansur; Misael, Felipe Anderson e Mattheus; Marcos Junio, Adryan e Ademilson.

O que surpreende muitos é a ausência do badalado Rafinha entre os titulares, mas o jogador se apresentou após o Natal e não participou de nenhum jogo-treino, sendo assim sua estadia entre os reservas justificada.

Rafinha é o único jogador atuando em equipe estrangeira a integrar a Seleção. O zagueiro Marquinhos, ex-corinthians e emprestado a Roma, não foi liberado. Essa foi a mesma situação enfrentada pelo lateral-esquerdo Fabinho, ex-Fluminense e hoje no Real Madrid.

Mas existem dois quase estrangeiros que podem fazer companhia ao jogador do Barcelona. O lateral Wallace, do Fluminense, já foi vendido para o Chelsea. Mesma situação do meia Guilherme Biteco, do Grêmio, que também tem tudo certo com o Hoffenheim, que não muito tempo atrás contratou um jovem meia atacante do Grêmio e se deu bem (Carlos Eduardo).

Ainda assim, vamos por partes. Wallace, Misael, Adryan e Ademilson foram todos jogadores de Emerson Ávila na Seleção sub-17. O treinador, inclusive, foi o primeiro a convocar Ademilson e ficou encantado com o jovem são-paulino, que acabou sendo seu principal jogador no torneio, por isso, dificilmente ele perderia lugar para Bruno Mendes ou Leandro.

O mesmo vale para Adryan, grande astro do Flamengo e que com certeza tem muito mais entrosamento com Ademilson, com quem jogou na categoria anterior e principalmente com Mattheus, que vai compor o meio de campo com Felipe Anderson e Misael.

Com todos esses elementos, o Brasil surge forte na competição, mas sem uma estrela maior, como em 2011. Adryan, Rafinha, Ademilson, Mattheus e até o novato Marcos Junio, que vem de um desempenho impressionante com o Fluminense, podem ser protagonistas do tetra.

Com Luiz Gustavo no gol, Émerson corrige seu grande defeito na Seleção sub-17. Indiferente a nomes como Guido Andrade (Santos) e Jairo (São Paulo), o treinador não deu sorte na posição em suas convocações. Tanto Uilson, do Atlético-MG, quanto Charles, do Cruzeiro, não tiveram boas atuações. No Mundial sub-17 ele chegou a convocar Jacsson e Matheus, de Inter e Atlético-PR, mas após os treinos desconvocou Matheus e chamou Uilson de volta.

Gustavo, que joga no Vitória, vem tendo bom desempenho com a Seleção desde que começou a ser convocado. Matheus Caldeira, do Corinthians, seu reserva, foi bem nos amistosos e também quando foi convocado para o torneio mediterrâneo, no começo do ano.

Wallace é o nome da lateral-direita, sem dúvidas. Talento reconhecido pelo mundo todo e que merecidamente mantém a sua vaga de titular desde a Seleção sub-15. A zaga, renovada das outras e o zagueiro Luan, também demonstrou qualidade, inclusive para ser capitão. Embora não houvesse nada de errado com Marquinhos e Luiz Gustavo (Palmeiras), dupla de zaga da Seleção sub-17.

O esquema de jogo do Brasil fica bem claro. Misael faz a contenção no meio-campo, enquanto Felipe Anderson e Mattheus cadenciam o jogo mais pra frente, enquanto isso, fica óbvio que Émerson aposta muito na velocidade de Marcos Junio e Ademilson,

A estreia será na quinta-feira contra o Equador. Depois pega o arquirrival Uruguai no sábado, a Venezuela na segunda-feira e encerra a participação na primeira fase apenas no dia 18, contra o Peru.

 

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base. Repórter da São Paulo FC Digital
This entry was posted in Seleção sub-20 and tagged , , . Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>