Fluminense mostra força de Xerém e é campeão da Copa Rio sub-17

O desfalque das principais estrelas da categoria sub-17 do Fluminense, servindo a Seleção Brasileira, não atrapalhou o tricolor carioca, que foi campeão invicto


Read the english version of this article by clicking right here

Click here to check all english content

Mesmo sem suas principais estrelas na categoria, o Fluminense derrotou o Internacional nos pênaltis, no último domingo, e ficou com o título da Copa Rio sub-17 de 2013.

A vitória do tricolor carioca serviu não apenas para dar o título invicto para o time, mas também mostrou que o a fase é muito boa em Xerém.

É bem verdade que a Copa Rio, por culpa do calendário, não estava lá em seu torneio mais forte. Além de não contar com São Paulo, Santos e Corinthians, três dos principais times de São Paulo, ainda por cima, devido ao calendário da Seleção sub-17 e da Future Champions, o torneio viu outras grande forças jogarem bastante enfraquecidas.

No entanto, entre os times que aparentemente estavam meia-bomba para a competição estava justamente o Fluminense, que não contou com o goleiro Marcos, o atacante Kenedy e o meio-campista Robert, principal jogador do time. Os três estão com a Seleção Brasileira na disputa do Sul-Americano sub-17. Além deles, Walney, que estava na Dallas Cup sub-19 e Gabriel Monteiro, punido por indisciplina, são titulares absolutos, mas também não jogaram a Copa Rio (info de @basedoflu).

O jeito para o Flu foi apostar na geração /97, um ano mais nova e a aposta deu certo principalmente por causa do meio-campista Gerson.

Canhoto e muito habilidoso, o jovem vestiu a camisa 11, mas jogou como um 10 (que por sinal era seu número no sub-15). Ele comandou o time com tranquilidade e merecidamente foi titular absoluto. Passes e lançamentos precisos, bem na cobrança de escanteios, bem nos chutes de média distância, perfeito nas assistências, na marcação e nos dribles rápidos. Com toda a certeza foi o principal destaque do time e até candidato a melhor da competição. Provou que realmente é diferenciado.

Embora a disputa em sua posição na Seleção sub-17 seja forte, não seria estranho ver o jovem aparecer nas convocações de Alexandre Gallo, caso o Brasil conquiste a vaga para o Mundial da categoria.

No entanto, outros não podem ser esquecidos. Muitos podem ter se assustado pelo Flu não poder contar com o goleiro Marcos, titular absoluto da Seleção Brasileira, mas Lucas Fritz, também /96 não decepcionou. O arqueiro reserva foi bem e coroou a boa participação na grande final ao ajudar o tricolor a vencer a disputa por pênaltis contra o Internacional.

Voltando a geração /97 não dá pra não citar o jovem Paulinho. Com uma velocidade impressionante e boa finalização, ele acabou o torneio como artilheiro do time. Foram cinco gols, incluindo um decisivo na vitória sobre o Palmeiras.

Patrick, também /97, mas que começou no banco, foi um dos bons destaques do time. Ex-Desportivo Brasil e integrante do grupo da equipe da Traffic em observação pelo Manchester United, o jovem atacante fez três gols na competição e mostrou que o futebol que o destacou em Porto Feliz continua em dia.

Em suma, o título da Copa Rio sub-17 mostra que o futuro, ao menos aparentemente, é muito próspero nas Laranjeiras.

 

 

 

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base.
This entry was posted in Copa Rio sub-17, Promessas do futebol and tagged , , , . Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>