As “dispensas” de Luiz Eduardo e Henrique Miranda

Após vexatórias eliminações do São Paulo, dois jovens que sequer estavam em campo, aparentemente pagam o preço pelo mau desempenho dos companheiros

A coisa não anda nada fácil no São Paulo Futebol Clube. Depois de ser eliminado de forma humilhante da Copa Libertadores da América, o presidente Juvenal Juvêncio resolveu falar e agir, em busca de mudanças no comportamento de seus comandados.

Ao todos são sete nomes que, a mídia, tem colocado como dispensados do São Paulo. Sete nomes que sequer entraram em campo nas duas eliminações recentes e entre eles duas jovens promessas da base são-paulina: o lateral-esquerdo Henrique Miranda e o zagueiro Luiz Eduardo.

Não vou entrar no mérito dos jogadores contratados, Cañete, Wallysson, João Filipe e etc, vou me ater aos dois garotos que acabaram de receber uma super-exposição. Será que era necessário?

Quais foram as chances desses dois jovens neste ano? Confesso que fiquei muito decepcionado com Ney Franco neste quesito. Quando ele chegou, acreditei que fosse dar mais oportunidade aos garotos que ele mesmo tinha costume de chamar para a Seleção sub-20, que são justamente Luiz Eduardo, Henrique Miranda e somamos a isso o atacante Ademilson e os volantes Rodrigo Caio e João Felipe.

E que chances tiveram esses meninos? O São Paulo garantiu fácil a vaga para a fase final do Campeonato Paulista e teve muitos jogos para cumprir tabela apenas. Mesmo assim as chances foram poucas.

Concordo com o empréstimo deles, que foi o divulgado por Juvenal. Afinal nesse momento conturbado fica muito difícil lançar um jovem no time principal. Eles precisam ganhar experiência e um empréstimo viria bem a calhar, inclusive para outros nomes que estão encostados no sub ou no super-20.

A imprensa já aproveitou para usar a palavra dispensa. Pudera, Juvenal escolheu muito mal o momento para anunciar essas medidas. Não sei qual sua intenção, mas nenhum dos sete dispensados tem a ver com as eliminações recentes. Os grandes vilões dos jogos seguem intactos pela diretoria.

O presidente escolheu mal o momento e quem paga são os jovens e também os outros cinco atletas. Muitos torcedores perceberam o quão sem noção foi a atitude, não de dispensar, mas de anunciar em coletiva após a humilhação sofrida em Minas Geras. No entanto, outros tantos e muitos jornalistas, que vejo sonhando com cliques, vão marcar estes nomes como vilões, como maus profissionais, os grandes culpados. Mereciam isso?

Cada vez mais acho que a Lei Seca deveria proibir de dirigir não só carros e motos, como também clubes e empresas. A multa está sendo paga, mas pelos torcedores e alguns  atletas e não pelo infrator. Uma pena.

 

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base. Repórter da São Paulo FC Digital
This entry was posted in Promessas do futebol and tagged , , . Bookmark the permalink.

One Response to As “dispensas” de Luiz Eduardo e Henrique Miranda

  1. H.92 says:

    Lei seca? Pegou pesado hein!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>