Reino da hipocrisia – esse é o nosso futebol de base

O São Paulo recebeu mais uma acusação de aliciamento e os clubes mostram revolta contra o tricolor paulista. Herói ou vilão? Quem é o São Paulo nessa história?

O talento que o brasileiro tem pra ser hipócrita é muito engraçado. Quando o assunto é futebol, até consigo entender isso vindo de torcedores, mas dirigentes não deveriam estar inclusos nesse tipo de situação.

Como podem falar tanto e fazer tão pouco? Eles reclamam demais, mas agem de menos na hora de mostrar serviço. Enfim, é sempre mais fácil culpar os outros e se isentar totalmente.

Estamos falando, claro, das diversas acusações de aliciamento que o São Paulo vem sofrendo nos últimos meses. Os clubes que acusam são muito hipócritas.

Veja o Flumiense, por exemplo, que, segundo entrevistas, já declarou oficialmente que se sente desconfortável com seus jogadores sub-17 treinando em Cotia.  Ela não acha nada desconfortável quando, por exemplo, tira jogadores de times paulistas. Como foi o caso do atacante Patrick Carvalho, ex-Desportivo e um dos principais nomes na carente geração /97.

Fernando Veiga, Diretor de Futebol do Fluminense, contestou (você pode ver nos comentários) a veracidade desta parte do post. Segundo ele, tanto Desportivo quanto Nova Iguaçu estavam cientes da negociação. Na época, não havia nenhuma pessoa com conhecimento do que havia feito Patrick desistir de sua viagem para Manchester em Porto Feliz.

Estou em contato com ambas as partes para deixar a história clara para todos.

Ressalto, porém, que o Fluminense é sim uma das equipes que faz um bom trabalho de captação, inclusive com suas parcerias com clubes menores e dentro do acordo existente entre clubes cariocas, é sempre um dos mais elogiados pelos times alheios.

E o Corinthians, que reclamou tanto que o São Paulo teria aliciado o lateral-esquerdo (agora meio-campista) Bruno Dip, ficou quieto quando de um grupo de empresários recebeu o atleta Altair, sem nenhuma compensação ao clube-empresa gerido pela Traffic.

Enfim, são só alguns casos, se formos mais a fundo vamos achar centenas de casos e em diversos clube do país: e isso inclui TODOS os reclamantes do caso São Paulo.

O segundo que finge que não é com ele quando o assunto entra em pauta é o mais importante deles. Aquele que de fato deveria tomar partido de tudo e REGULAMENTAR o futebol de base no país: CBF.

As declarações de Gallo, dizendo que a Confederação não tem nada a ver com esse assunto e nem vai se meter no que está acontecendo são desanimadoras. Já sabemos que os clubes por si só não resolvem nada.

O acordo de cavalheiros, que é só uma grande piada, já que NINGUÉM nunca cumpriu, não deu e nunca dará certo. Então já é mais do que hora da CBF tomar as rédeas da situação.

Cabe sim a Confederação Brasileira de Futebol determinar como devem ser feitas as negociações. Como serão os contratos de jogadores menores e o principal: quais as obrigações dos clubes quanto aos seus jovens.

Ninguém parou um segundo para pensar nisso, mas a maioria absoluta dos reclamantes são clubes que não cumpriram as suas obrigações com os atletas. Claro, não é o caso de todos eles, mas é sim o da maioria.

Vejam o Vasco, que tanto reclama do São Paulo pela contratação do lateral Foguete e do Atlético por ter contratado o atacante Thiago Mosquito. Essa geração já estava lá há anos, colocaram vários jogadores na Seleção no campeonato Sub-15, dois anos atrás, mas se mexeram para dar condições aos seus jovens talentos? Não.

Ambos deixaram o time com suas ajudas de custo atrasadas. Sem condições de trabalho e instalações dignas. Chegamos ao ponto de ver um garoto sub-14 morrer pela falta de Departamento Médico dentro do Centro de Treinamento da base vascaína.

Não cabe a mim julgar o que fez o São Paulo. Se é ilegal, de fato, então cabe aos clubes lesados entrarem na justiça. Claro, nenhum vai entrar, já que o São Paulo não agiu fora da lei e todos eles devem muito e por isso tem medo daquele tribunal.

Se a CBF não vai se mexer, nem adianta esperar nada dos clubes. Os talentosos serão sempre daqueles que puderem oferecer mais.

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base. Repórter da São Paulo FC Digital
This entry was posted in Especiais, Promessas do futebol. Bookmark the permalink.

7 Responses to Reino da hipocrisia – esse é o nosso futebol de base

  1. Gabriel Fuhrmann says:

    Fernando, primeiro eu gostaria de dar os parabéns à você pela cordialidade e educação com que comentou no blog. Sou muito sincero quando digo isso, porque aprecio muito as pessoas que sabem falar e sabem interagir. No nosso meio vemos muita gente destemperada e que quando vê algo do qual discorda, já chega com 100 pedras na mão e mais uns cacos de vidro, se possível, rs. Então, com toda a sinceridade do mundo, muito obrigado pela sua educação, um exemplo não só para o futebol, mas para todos os meios. As pessoas precisam ser mais assim e isso pode nos levar a discussões que agreguem para ambos e isso é o que espero dessa nova conversa via comentários.

    Sore o post, Fernando, sei que o Fluminense tem centros de captação, de onde consegue ótimos atletas, em parcerias muito honestas, mas neste caso eu não posso concordar com você, eu estava muito próximo do Desportivo Brasil na época. Sei que legalmente você sempre vai poder falar que o Patrick era um jogador do Nova Iguaçu, que foi emprestado ao Desportivo Brasil e da mesma forma, o São Paulo pode dizer que o Foguete, do Vasco, era um jogador do Vasco que não recebeu seu salário por bastante tempo e conseguiu legalmente se desvincular do clube ou que o Lucão não tinha contrato com a Ponte Preta, etc…

    O que soube é que o garoto estava no Desportivo e fazia parte do Programa Manchester United, que todos conhecemos bem e deixou o time no meio do programa, se recusando a fazer a viagem que tinha programada. O acordo com a Traffic aconteceu, mas foi posterior a chegada do jogador no Fluminense, até onde chegaram as informações. Com o Nova Iguaçu tudo pode parecer as claras, mas no Desportivo não foi bem assim, o jogador simplesmente sumiu do clube. Seguindo a lógica, Fernando, o que aconteceu foi a retirada do jogador do time e isso forçou o negócio, o que para dentro do que acredito também é uma forma de aliciamento.

    A não ser que alguém possa me mostrar que os comentários em Porto Feliz, de que a Traffic só tomou conhecimento da ida do Patrick para o Fluminense apenas depois que o acerto já estava feito, eu acredito que seja um caso que foge a ética para mim.

    Abraços.

  2. Fernando Veiga says:

    Caro Gabriel;

    Não é verdade o que você escreveu sobre o Patrick que hoje está no Fluminense. O jogador foi negociado diretamente com o Nova Iguaçu que era o o clube dele na ocasião.

    Não aliciamos jogador, fazemos parcerias, inclusive com clubes pequenos, que muitas vezes são os mais prejudicados na questão dos aliciamentos. Respeitamos o que foi acordado no pacto firmado na Granja Comary e é assim que trabalhamos.

    Temos uma gestão séria na base com profissionais de excelente nivel, tais como Marcelo Teixeira e Fernando Simone.

    Saudações
    Fernando Veiga

  3. Gabriel Fuhrmann says:

    Tem sim, mais pra ser um Índio do que Boschillia. Não sei sobre o interesse do SPFC no Jairo.

  4. Platão says:

    Gabriel eu ouço falar muito do meia clairton do sub 15,queria saber se ele tem potencial pra ser um meia do nível do índio e do boschilia do sub 17,e também conseguintemente se ele é daqueles meias que dependem apenas da bola parada ou é mais do que isso,possui habilidade e visão de jogo?E é verdade que o spfc quer o meia jairo do sub 15 do santos?

  5. O Vasco da Gama reclama do Atletico PR e São Paulo, mas tirou o volante Danilo do sub17, sem pagar nada ao Vitória da Bahia.

  6. Eles fazem isso porque é mais fácil ficar olhando para o rabo dos outros, os outros no caso é o SPFC.
    Como esses clubes tem o rabo preso com coisas escusas eles fazem esse tal boicote, pois se entrarem na justiça vai chover muita m… no ventilador e espirraram neles próprios, a muleta desses incompetentes é boicotar o SPFC que é criticado por fazer as coisas ás clara, coisas que Corinthians, Fluminense, Vasco, Flamengo, Santos, Portuguesa e etc não fazem !

  7. sam says:

    olá

    excelente comentário Gabriel. eu não tinha ideia de que os outros times também faziam isso. sobre a acusação de “aliciamento”, uma matéria no blog do site terra, dizia que: um dirigente da ponte fc, que um empresário teria levado alguns jogadores para o spfc, inclusive o goleiro.

    muito obrigado, Gabriel por trazer ótimas informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>