39ª – A pior rodada do Campeonato Brasileiro

Esse ano o Campeonato Brasileiro foi muito legal, embora alguns torcedores não tenham ficado satisfeitos com o rendimento dos seus times, até a 38ª e teoricamente última rodada, a competição foi muito interessante.

Em uma ponta da tabela o Cruzeiro sobrava e mostrava um futebol gostoso de ver e com um time montado com jogadores antes considerados refugos. Ponto pros mineiros. Na outra ponta o Náutico sofria e mostrou um time que todos tinham a obrigação de golear.

Porém as disputas por vice, terceiro e quarto lugar, assim como a briga para não ser um dos outros três rebaixados, fazia o campeonato muito legal.

O Brasileirão deveria ter acabado, mas pelo jeito os clubes cariocas queriam mais uma chance e foi lançada a 39ª rodada: a pior de todas as rodadas do Brasileirão, que mostra de fato como nosso futebol é ridículo.

Em primeiro lugar o caso da Portuguesa não beira qualquer absurdo. Uma escalação irregular é sempre passível de punição, mas e o bom-senso, onde fica?

A Portuguesa escalou o jogador Héverton para jogar pouco mais de dez minutos contra o Grêmio, em um jogo que já não valia nada. Foi um diferencial pra Portuguesa? Não, não foi. Com todo o respeito, estamos falando do Héverton e não do Neymar.

Ainda que seja correto punir a Portuguesa e esquecer todo o bom-senso quanto a situação, já que a punição vai ser muito mais rigorosa do que deveria, culminando no rebaixamento, vamos refletir: o caso seria o mesmo se fosse o contrário? E se fosse a Portuguesa buscando a punição do Fluminense? Nosso histórico prova que não, vide 1996, 2000 e tantos outros anos decididos nos campos de batalha jurídica.

Pra completar, o auditor Washington Rodrigues de Oliveira, que acabou convocado para participar do caso, se manifestou publicamente antes de saber da convocação e sua opinião é uma das mais absurdas possíveis.

Como podem ver, ele diz que por vezes usou o bom-senso e não retirou pontos de times que escalaram jogadores de forma irregular, mas dessa vez, como é o Fluminense e a Série A “é um absurdo ele fazer isso”, que a Portuguesa seja punida já. Rá. Pelo menos, se fizerem o certo ele vai ser desconvocado do julgamento.

Ainda que realmente não exista maneira de salvar a Lusa desse complô (e eu acredito que há), Washington não pode ser um dos auditores.

Juridicamente falando eu entendo pouco do assunto mesmo, mas conversei com advogados, colegas estudantes e gente que conhece bem o CBJD e existem sim muitas saídas para a Portuguesa, embora na CBF já decretem o rebaixamento de uma equipe de menor expressão para a manutenção de um, teoricamente, grande do futebol nacional.

E vamos pra situação mais nojenta possível que poderíamos ter: o Vasco da Gama tentando ficar na primeira divisão por causa de uma briga que também foi causada pela torcida vascaína, que é REINCIDENTE em brigas no estádio em 2014. Isso mesmo, em apenas um ano eles estavam envolvidos e mais de uma cena de violência covarde nos estádios.

Não satisfeito em usar uma situação tão asquerosa para simplesmente conseguir um benefício que seria injusto, já que a bola do Vasco foi mesmo muito pequena durante o Brasileirão e sua administração beira a várzea, o clube foi mais longe, e fala até em defender BANDIDOS!

Isso mesmo, não basta apenas dar ingressos, pagar passagens e ajudar as organizadas a colocarem agressores covardes dentro dos estádios, vão ajudar a defender eles na justiça também.

O próximo passo é os dirigentes subirem na arquibancada pra dar chute na cabeça de “inimigo” desacordado no chão.

Pode fechar o futebol brasileiro depois dessa. Chegamos ao ponto em que é mais grave você escalar um jogador punido por um lance de jogo, do que financiar e ajudar uma torcida organizada a “tocar o terror”, como eles mesmos dizem, nos estádios.

Está claro pra mim que a punição, tanto para o Vasco da Gama, quanto para o Atlético-PR, que também é responsável pela briga, se houver, tem que ser muito mais rigorosa do que contra a Portuguesa.

É sério isso? Vão rebaixar um clube porque escalou, em uma clara falha de comunicação, um jogador punido por um lance de jogo e vão deixar na Série A um time que está financiando a violência nos estádios?

Por favor, fechem o futebol brasileiro e comecem de novo, porque as pessoas que estão no poder tem os valores totalmente desvirtuados.

 

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base.
This entry was posted in Promessas do futebol. Bookmark the permalink.

2 Responses to 39ª – A pior rodada do Campeonato Brasileiro

  1. Flávio says:

    DESISTO. Futebol não é para gente idônea e seria. Este time do RJ, recuso-me a falar o nome, ser beneficiado é o fundo do poço.
    Depois da violência de domingo, a manutenção da Portuguesa na série A e um comunicado deste time, ou melhor, sistema UNIMED, de que a performance em campo seria respeitada e jogaria a série B, representaria um GRANDE alento ou renascimento para o futebol em 2014. (Ok, estava sonhando…….)
    As pessoas, ou melhor dirigentes, fingem que não sabem o impacto desta decisão na formação do jovens apaixonados por futebol. Levar vantagem sempre, não importando princípios éticos e morais. Este é o meu país.
    Este timinho cada dia fica mais marcado como excelência em “tapetão”e safadeza. Isso terá um preço a médio prazo (menos torcida).Para mim, perde a oportunidade de construir um marco na sua história e na história do futebol mundial.

  2. Está mais do que na hora de retirar, definitivamente do regulamento, as punições de perda de pontos referentes a assuntos que não têm a ver com o que ocorre dentro do campo. No caso de jogador irregularmente escalado, a pena tem de ser pesada, mas não pode ser a remoção retroativa de pontos. Se os quatro pontos que a Portuguesa deveria (supostamente) perder fossem tirados no início do Brasileiro de 2014, será que o Fluminense teria ido com tanta sede ao pote? Claro que não.

    Justiça por justiça, o Fluminense não deveria abrir mão dos dois pontos que ganhou irregularmente do São Paulo, graças ao gol de Gum, que deveria ter sido expulso alguns minutos antes? Sem eles, não adiantaria retirar os quatro pontos da Lusa, que o Flu continuaria rebaixado. Se fosse para retirar pontos, que sejam os ganhos irregularmente, não uma punição por causa de um jogador que atuou quinze minutos em um jogo que nada valia.

    Isto posto, se a remoção de pontos estiver no regulamento, sem ressalvas, não há jeito. Mas parece que há ressalvas aos montes, e dependeremos da interpretação dos juízes, quase todos — senão todos — eles cariocas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>