Os 15 melhores da Copinha 2014

A Copinha é um verdadeiro celeiro de craques e funcionou muito bem para vários jogadores. Considerando potencial, idade e desempenho, faço uma lista dos 10 jogadores que mais surpreenderam na Copa São Paulo de Futebol Junior de 2014.

1 – Fernando Medeiros – 1996 – Santos FC

Jogando com a camisa 8 do Santos na Copa São Paulo, Fernando Medeiros deu show durante toda a competição.

Já badalado por, mesmo como volante, ser artilheiro do time santista em diversos torneios sub-17 e sub-15, o jovem chegou na Copinha para provar seu valor, não só como homem surpresa, mas também como homem de marcação e o fez muito bem.

A grande atuação foi coroada no jogo do título, onde foi impecável, apesar do nervosismo. Fernando deu um baile no badalado Zé Paulo, do Corinthians. O camisa 10 e principal armador do time do Parque São Jorge não apareceu no jogo até Fernando deixar o campo com cãibras.

A saída no final do jogo só deixou claro como o camisa 8 santista era importante em campo. Zé Paulo quase conseguiu empatar para o Corinthians pelo menos três vezes em dez minutos.

2 – Malcom Felipe – 1997 – SC Corinthians

Um dos jogadores mais jovens da Copinha, aos 16 anos Malcom se apresentou muito bem em um torneio feito para jogadores três anos mais velhos.

Veloz, habilidoso e driblador, Malcom foi coroado com seis gols, incluindo o gol que incendiou a final. A personalidade do jogador ainda tão jovem surpreendeu, se mantiver o ritmo, Malcom tem tudo para ser o jogador que vai mais longe dessa geração corintiana.

3 – Lucas Otávio – 1994 – Santos

Já com 19 anos e precisando definir seu futuro no último ano de Copa São Paulo, Lucas Otávio mostrou que definitivamente está pronto.

Perfeito no posicionamento, na marcação e premiado como melhor jogador da competição, taticamente Lucas Otávio foi imprescindível para o título, muito embora Fernando fosse o jogador encarregado por marcar o mais habilidoso dos times adversários.

Lucas Otávio vai direto para o profissional do Santos e deve entrar no time titular em breve.

4 – Serginho Soler – 1995 – Santos FC

Dono da camisa 10 do Santos e um ano mais novo do que a data limite da Copinha, Serginho ditou o ritmo de jogo do time campeão.

Foi como um maestro em campo. Um maestro veloz, mas um maestro. Foram três gols na competição, muitas assistências e um show de condução de jogo. Serginho com certeza faz o São Paulo se arrepender muito de ter o dispensado por um “problema incurável nas costas” e “ter uma pensa maior do que a outra”.

5 – Diego Cardoso – 1994 – Santos FC

Os 9 gols, incluindo o que “roubou” de Stéfano Yúri na final, coroaram o jovem um dos principais atacantes do time santista.

Veloz e não tão alto quando o companheiro de área, Diego jogou com a personalidade de um camisa 7 santista e foi a referência dos alvinegros. Todos os jogadores dominavam a bola e já procuravam o Diego para receber.

6 – Eduardo – 1995 – Atlético-MG

O volante Eduardo definitivamente deu a volta por cima nessa Copa São Paulo. Depois de ter sido contratado do Guarani pelo São Paulo e ter sido dispensado por “desvio de conduta” do tricolor, ele provou seu valor dentro de campo.

Foi o principal homem de marcação do Galo. Forte e rápido, deve ser integrado ao profissional rapidamente.

7 – Zé Paulo – 1994 – Corinthians

Zé Paulo foi possivelmente o melhor jogador do Corinthians e apesar de ter sido completamente anulado pelo líder da lista, Fernando Medeiros, mostrou que tem sim potencial para jogar no time de cima.

Se tivesse conseguido jogar contra uma marcação igual a do Fernando, Zé estaria no topo da lista, mas não conseguiu.

Sem Fernando na marcação Zé Paulo precisou de dez minutos para mostrar sua qualidade e criou ao menos quatro chances claras de gol para o Corinthians empatar a grande final, a maior delas perdida de forma ridícula pelo atacante Brayan.

Apesar de estar em seu último ano de Copinha, ainda precisa evoluir em muitos aspectos para estar pronto para o time profissional.

8 – Marquinhos – 1994 – Atlético-MG

O atacante Marcos Vinicius, conhecido como Marquinhos, foi um dos bons destaques do Galo, com muita velocidade e habilidade, foi um diferencial no time fisicamente forte do Atlético-MG.

A previsão é que seja integrado ao profissional ainda no primeiro semestre deste ano.

9 – Gabriel Boschilia – 1996 – São Paulo

Nascido em 1996 e vindo do Guarani com uma enorme expectativa, Boschilia cada vez se mostra mais pronto para sua integração ao time principal do São Paulo.

Fisicamente o jovem não parece dever mais nada aos atletas sub-20 e na qualidade técnica é superior a grande maioria dos jogadores do profissional atualmente.

Se feita de maneira correta, sua integração ao profissional ainda nesse ano será um sucesso.

10 – Ewandro – 1996 – São Paulo

Ewandro provou que é muito habilidoso independente da sua faixa etária. O São Paulo acabou eliminado na partida em que o jovem atacante não jogou.

A sua ausência não foi o principal motivo da eliminação tricolor, que sentiu muito mais falta de Auro e Felipe Araruna para competir com o forte meio-campo do Atlético-MG.

Já está com o profissional e se mantiver o ritmo, pode até ser uma das revelações do Paulistão.

11 – Carlos Alberto – 1995 – Atlético-MG

Com 18 anos, Carlos apareceu muito bem na competição e marcou 8 gols pelo Atlético-MG.

Essa foi a segunda participação de Carlos em uma Copinha, no ano passado ele já havia sido artilheiro do Atlético-MG na competição, mas a participação do time mineiro foi ruim.

Carlos já jogou pelo profissional em 2013 e vem a cada dia provando que os seus 28 gols em um ano pelo sub-15 e a participação precoce e boa na Future Champions 2010 foram só um indício do que ele ainda pode fazer.

12 – Stéfano Yúri – 1994 – Santos FC

O gigantesco Stéfano Yuri impressionou nessa Copa São Paulo. Dividindo holofotes do ataque com Diego Cardoso, bem mais badalado, Stéfano fez bonito e marcou 9 gols no torneio.

A presença de área de Yuri é um diferencial, que já é elogiado no Santos há muito tempo. A chance no profissional virá em breve.

13 – Wellington Bueno – 1996 – Desportivo Brasil

O jovem Wellington Bueno, conhecido também como Juninho, foi o principal destaque do Desportivo Brasil na competição.

O time foi muito mal e acabou eliminado ainda na primeira fase, mas Wellington mostrou porque o Anderlecht corre para fazer sua contratação efetiva o mais rápido possível.

O jovem participou de praticamente todos os gols do time de Porto Feliz: marcou 4, apenas na primeira fase e jogando como meia armador.

Veremos brilhar em terras belgas.

14 – Gustavo Hebling – 1996 – São Paulo

O meio-campista Gustavo Hebling, conhecido como Pira, mostrou que é realmente o melhor volante que o São Paulo tem na sua categoria.

Desfavorecido por estar em um time muito jovem e fisicamente abaixo da média da Copinha, Pira mostrou ótimo desempenho na marcação e uma saída de bola consciente e inteligente.

O jovem deve subir para o profissional nas próximas semanas.

15 – Gustavo Henrique – 1994 – Taboão da Serra

Artilheiro da competição, Gustavo carregou o Taboão da Serra até as quartas de final, quando inevitavelmente o time foi eliminado pelo Santos.

Contratado pelo Criciúma, a expectativa é de ver Gustavo mostrar seu talento na Série A do Brasileirão e cavar seu lugar em algum time do eixo Rio-SP. Ir para o Criciúma foi uma boa para sua carreira, já que terá muitas chances no time catarinense.

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base. Repórter da São Paulo FC Digital
This entry was posted in Promessas do futebol. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>