O UFC deita e rola em cima dos brasileiros… e tem gente achando legal

O querido Dana White há muito tempo comprou o UFC de… brasileiros. O UFC cresceu muito mundialmente, principalmente devido aos seus astros… brasileiros: Belfort, Anderson Silva, Lyoto Machida, Shogun, Minotauro, Cigano…

Não bastassem os brasileiros terem criado o evento, alavancado ele na América do Sul e no mundo, Dana White queria mais e o que ele quer dar em troca? Pouco ou quase nada e faz isso por um motivo: brasileiro deixa, brasileiro aceita, brasileiro faz.

Mas isso não é o pior, o pior é a maneira como ele respeita os riscos que os brasileiros assumem para salvar a organização e seus eventos, tantas vezes mal-planejados.

Barão soube dia 28 de março que teria que colocar seu cinturão em jogo para salvar o UFC 173, que seria há pouco menos de dois meses daquela data.

Tem que se considerar que nem um mês antes Barão já havia cedido uma disputa de cinturão para Urijah Faber e vencido de forma avassaladora, já que deu três knockdowns em um único round, mesmo com uma parada precoce do arbitro.

Barão aceitou salvar o evento contra um lutador que já estava treinando para esse card desde que ele foi montado e que já visava uma luta contra o Barão há tempos. A conclusão é clara, Barão não teve preparação e acabou tomando um passeio do adversário, que teve gás para pressionar por cinco rounds até nocautear.

Financeiramente compensou? Isso só Barão pode dizer, mas acho que não, pois ainda assim recebeu menos do que Faber recebeu para ser nocauteado por ele três meses antes. Barão recebeu 74 mil dólares para enfrentar Dillashaw e literalmente evitar que um evento fosse cancelado colocando seu cinturão em jogo sem a devida preparação e Faber recebeu 100 mil dólares para perder no primeiro round em condições ideais…

Nem uma revanche imediata concederam ao ex-campeão Renan Barão, mas quanta gratidão tem esse UFC.

Outro exemplo de como brasileiro é trouxa que Dana White usa e abusa aconteceu hoje, na luta entre Miocic x Fábio Maldonado. Tem que ser muito tonto para aceitar sem tempo pra preparação uma luta contra um top 5 da categoria de cima, sendo que você não está entre os tops da sua própria categoria. Deu a lógica, em 30 segundos o Caipira de Aço virou sucata.

Brasileiro tinha que ser esperto, como foi Jon Jones e inclusive o brasileiro Lyoto Machida, que recusaram as lutas e cancelaram o UFC 150, quando sabiam que não seria bom pra carreira lutar… mas enfim, enquanto a crista brasileira for baixa, a careca americana vai brilhar muito.

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base. Repórter da São Paulo FC Digital
This entry was posted in Promessas do futebol. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>