15 jogadores para olhar na Copinha 2015

1 – Bruno Gomes (Internacional)

Credenciado com gols, Bruno Gomes é definitivamente um jogador diferente, que a cada jogo prova que o alto investimento feito pelo Inter em seu futebol com certeza vale a pena. Em 2012, quando deixou o Desportivo Brasil para jogar no Colorado, o Gigante da Beira-Rio precisou brigar com São Paulo e Udinese para contar com o jogador e para ganhar a batalha precisou gastar um bom dinheiro.

Bruno detém o recorde de ser tri-artilheiro do Paulista, sendo uma vez artilheiro do sub-15 e duas vezes artilheiro no sub-17. No próprio Internacional as artilharias já se tornaram comuns, assim como os gols decisivos. Na última Copa do Brasil sub-20, que Bruno disputou mesmo tendo 18 anos, foram sete gols, alguns deles nos acréscimos de jogos decisivos, que ajudaram o Internacional a garantir o título.

Sempre bem posicionado, Bruno não é o tipo de jogador que faz uma jogada muito plástica, mas de uma forma ou de outra está sempre na hora certa e no lugar certo. É daqueles jogadores que usam mais o cérebro do que o corpo e por isso se sobressai cada vez mais no futebol cada vez mais marrento do Brasil.

2 – Andrigo (Internacional)

Apenas 19 anos, mas currículo de quem já poderia ter passado dos 20, esse é Andrigo, uma das maiores joias do SC Internacional.

Ainda muito jovem, com apenas 15 anos, despontou para o mundo ao brilhar na etapa brasileira da Copa Nike, em 2010. Tão jovem, o habilidoso meia passou a ser assediado por equipes do mundo inteiro e chegou a ser convocado para o Sul-Americano sub-17, mesmo sendo mais novo do que seus companheiros de time.

Na época a pressão pesou e além de más atuações, Andrigo sofreu lesões, o que junto com a super-exposição na mídia, atrapalhou um pouco seu desenvolvimento.

Totalmente recuperado, o jovem meia voltou com tudo e vem fazendo boas apresentações. A velocidade, o chute de média distância e a agilidade para achar um bom passe, destacam o garoto, que logo, logo deve ganhar uma chance no time profissional.

3 – Inácio (São Paulo)

O polivalente Inácio, que veio do Bahia após abrir processo litigioso trabalhista contra o clube, que deixou de recolher cerca de 3,5 mil referentes ao FGTS do atleta, é atualmente uma das estrelas do time sub-20 do São Paulo.

Da lateral-esquerda ao ataque, o jovem de 18 anos se dá bem em todas. Artilheiro do time no Paulista sub-20, com sete gols, Inácio é um dos principais destaques do tricolor e já vai para a sua segunda Copa São Paulo.

O coringa pode ser a saída que o São Paulo tanto procura, apesar de ter formado laterais-direitos que brilharam nas Seleções de base, como Lucas Farias, Auro e Foguete (que veio do Vasco na transição do sub-15 para o sub-17), do outro lado do campo a sorte não brilha no tricolor já faz algum tempo. Gabriel Machado, Arthur e Matheus Reis passaram pela posição no juvenil e não convenceram. No profissional, Álvaro Pereira e Reinaldo convenceram ainda menos, apesar da raça do uruguaio.

Quem sabe a solução que o São Paulo precisa não está em casa mesmo? A chance para o jovem é mostrar serviço agora. Muito bom no ataque, com cruzamentos precisos, Inácio já mostra muito mais qualidade do que seus concorrentes no time principal.

4 – Gustavo Hebling (São Paulo)

O mais técnico dos volantes tricolores, Gustavo Hebling, mais conhecido como Pira entre os jogadores, é unanimidade no São Paulo há anos.

Bom em cobranças de falta, bom no chute de fora da área, bom no passe e ainda por cima bom no desarme, é considerado por todos da comissão técnica são-paulina o jogador completo e vem pra Copinha com sede.

De complicado Hebling tem só o nome, porque no futebol nada parece complicado para o jovem, que tem muita tranquilidade com a bola nos pés e pode cavar sua vaga no time principal com uma boa Copinha em 2015.

5 – Fernando Medeiros (Santos)

Na opinião desse que vos escreve, disparado o melhor jogador da última Copinha e o melhor volante /96 do país, mas com larga vantagem mesmo.

Fernando Medeiros é tudo que todo treinador gostaria de ter em um volante. Sua marcação é precisa, quando precisa faz até o serviço de carrapato. Tem uma noção tática fora do comum para a idade. Foi, na minha opinião, o melhor jogador da final da Copinha 2014, contra o Corinthians, anulando o principal atleta adversário, Zé Paulo.

Depois que o jovem santista deixou o campo com cãibras, o meia corintiano até apareceu e quase conseguiu o empate para o Timão, mas enquanto Fernando esteve em campo, seu adversário não encostou na bola.

Para completar, atacante nos seus tempos de salão, Fernando Medeiros ainda chega muito bem no campo ofensivo, sendo até artilheiro do time sub-15 do Santos, mesmo jogando mais recuado. Quer mais o que?

Eu, particularmente, fiquei abismado de ele não ter subido para o profissional ainda, mas ao que tudo indica, será questão de tempo e não muito.

6 – Serginho Soler (Santos)

Vítima dos esquemas sombrios de Cotia, Serginho foi dispensado do São Paulo por motivos obscuros. Das justificativas, que vão de “tem uma perna maior do que a outra” até “tem um problema incurável nas costas”, sabemos que a razão real é “alguém não iria ganhar dinheiro com ele em Cotia”.

Serginho já foi destaque da outra Copinha, com direito a atuação de gala e gol na final, contra o rival Corinthians. Com a camisa 10 santista, mais uma vez terá a função de organizar o meio de campo e construir as jogadas do alvinegro da Vila Belmiro.

Para o lugar de Lucas Lima com a camisa do Santos, Serginho seria uma aposta bastante coerente.

7 – Gabriel Fernando (Palmeiras)

Gabriel Fernando de Jesus, mais conhecido como Borel (apelido de infância) e que na Copinha vai atuar sob a alcunha de Gabriel Jesus, é daqueles jogadores que definimos como uma joia a ser lapidada.

Meia-atacante veloz e matador, fez seu nome no último Paulista sub-17, coroado com a artilharia: 37 gols, um recorde para a competição. Para se ter uma noção, desde que o Paulista sub-17 tomou esta forma, em 2007, o maior número de gols de um único atleta era 28, marcados por Henrique Caixeta, pelo São Paulo, em 2008 e por Bruno Gomes, em 2013, pelo Desportivo Brasil.

Com velocidade e agilidade, Gabriel tem aquela malandragem que é rara vermos nos jogadores hoje em dia, aquela coisa até meio maloqueira e precisa ter esse seu lado bem trabalhado, pois é a principal arma palmeirense. Sem ele o time alvi-verde perde muito da sua força ofensiva.

8 – Matheus Cassini (Corinthians)

Canhoto e muito veloz, Matheus é mestre na arte de cortar para o meio e chutar e por isso joga no lado direito do campo.

No Corinthians desde o sub-15, Cassini já chegou a treinar no Flamengo de Guarulhos e foi até pra pré-lista da Copinha 2012, no entanto ficou de fora da má campanha do rubro-negro paulista.

Pela primeira vez disputando a competição pra valer, tem tudo para ser o principal jogador corintiano no torneio e desempenhar papel similar ao de Zé Paulo no ano passado.

9 – Gulherme Arana (Corinthians)

Com apenas 17 anos, Guilherme Arana já chegou muito mais longe do que a maioria daqueles que tentam ser atletas, vão conseguir.

Lateral-esquerdo com boa noção de marcação, apesar de ser bastante ofensivo, Guilherme já tem boa experiência. Ele jogou a Copa São Paulo ano passado e foi um dos artilheiros do Timão na competição, marcando três gols.

O precoce lateral-esquerdo já está acostumado a jogar contra os mais velhos e já teve chance no principal. Tudo leva a crer que fará uma Copinha ainda melhor esse ano.

10 – Hugo Ragelli (Cruzeiro)

Do sucesso ao fracasso, Hugo Ragelli parece já ter experimentado várias sensações, apesar de ter apenas 19 anos.

No Palmeiras tudo começou com um sucesso meteórico. Recém-chegado ao alvi-verde, com apenas 15 anos, o grandalhão Hugo Ragelli foi artilheiro isolado do Paulista sub-15 com 32 gols, um recorde para a competição.

No ano seguinte, só novidades boas: mais 19 gols, que deram a vice-artilharia da competição e o título do Paulista sub-17, que o Palmeiras já não vencia havia 34 anos. No entanto veio uma lesão na fase final da competição. Sem estar 100%, Ragelli foi pra Copinha e teve más atuações, foi o ponto final no time paulista.

Para retomar a carreira no Cruzeiro foi preciso muita paciência. Agora Ragelli é destaque no time mineiro, com direito a gol pelos profissionais em seu primeiro toque na bola com a camisa cruzeirense.

Será que dessa vez Hugo Ragelli fará a Copinha que se esperava dele anos atrás?

11 – Bruno Cosendey (Vasco)

Mais um volante na lista, Bruno Cosendey vem mostrando grande evolução e pode despontar na sua segunda Copa São Paulo.

Apesar da posição recuada no meio de campo, o jovem de 17 anos, que está no clube cruzmaltino desde os 10, foi artilheiro na Copa do Brasil da categoria. Na última Copinha, Bruno foi reserva, mas entrou nos três jogos do Vasco, que foi eliminado na primeira fase da competição.

Com a camisa 8, cabe a Bruno dar a qualidade ao meio vascaíco, que não conta em 2015 com Guilherme Costa, que estourou a idade limite, Matheus Índio, que foi para o Santos e voltou, além de Danilo, vendido ao Braga, de Portugal.

12 – Cryzan (Atlético-PR)

Depois de brilhar no Brasileiro sub-20, Cryzan chega a Copa São Paulo como forte candidato a ser um dos melhores meia-esquerdas da competição.

O nome diferente é uma homenagem ao ídolo palmeirense Zinho, mas com 1,90m de altura, o Cryzan do Furacão tem características um pouco diferentes do ex-jogador. É daqueles tipos raros de se encontrar, grandalhão, forte, mas com muita habilidade e qualidade com a bola nos pés.

Finalizador, ele costuma incendiar o jogo pelo seu lado do campo, mostrando muita intensidade.

13 – Bruno Tabata (Atlético-MG)

Com folga a principal aposta do Galo para a Copa São Paulo, Bruno Tabata é um meia-atacante veloz e de toque fácil na bola, um potencial que impressiona.

Autor do gol do título da Copa do Brasil sub-17, a jovem promessa está se mostrando um jogador decisivo no Atlético-MG. Por vezes caindo pelo lado direito, por vezes infiltrando pelo meio, a velocidade, agilidade e pensamento rápido de Tabata causam uma verdadeira confusão nas zagas adversárias.

14 – Jajá (Flamengo)

Em sua última Copinha, Jajá apresenta um currículo tão extenso, que os mais desavisados podem nem lembrar que o jovem flamenguista, que na verdade se chama Hugo, é nascido em 1995 e ainda nem completou seus 20 anos de idade.

Com a missão de comandar a equipe rubro-negra, com a camisa 10 e ainda lapidar a joia Matheus Sávio, Jajá tem bastante pressão nessa edição, que pode cravar seu lugar ao Sol no time principal do Flamengo.

Por isso vale muito a pena ficar de olho e ver como o atleta reage a esse momento decisivo de sua carreira.

15 – Ikaro (Fluminense)

Com os desfalques de nomes como Robert, Kenedy, Denilson e Marcos Felipe, o time do Fluminense precisa se reinventar para brilhar na Copa São Paulo e o meia Ikaro pode ser o nome dessa nova equipe.

Vindo do Ceará aos 14 anos de idade, o atleta chegou ao Desportivo Brasil, da Traffic. Coincidentemente, onde também jogou outra estrela desse time do tricolor carioca, o atacante Patrick.

Volante de origem, Ikaro tem uma saída de bola muito boa, além de uma velocidade que o destaca, tornando suas atuações essenciais para o meio de campo do Fluminense. O jovem já foi destaque no Qatar, em um torneio internacional vencido pelo Flu e chamou a atenção dos clubes europeus, tal qual seu parceiro de time no Desportivo e no Fluminense, Patrick, que é monitorado pelo Manchester United.

Também vale olhar: Patrick (Atacante – Fluminense); Renato Kayzer (Meia-atacante – Vasco); Marciel (Volante – Corinthians); David Neres (Meia-atacante – São Paulo); Matheus Sávio (Meia – Flamengo); Yago (Volante – Atlético-MG) Tyroane (Atacante – Grêmio); Nicolas Careca (Atacante – Grêmio) Marlon (Volante – Fluminense); Gabriel Louzada (Meia – Cruzeiro); Douglas Baggio (Atacante – Flamengo)

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base. Repórter da São Paulo FC Digital
This entry was posted in Copa São Paulo, Promessas do futebol. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>