Atuações – Santos 2 x 1 São Paulo

Na tarde deste domingo, São Paulo e Santos se enfrentaram pela semifinal do Campeonato Paulista. O tricolor praticamente não jogou e jogadores rápidos como Geuvânio e Lucas Lima tiveram vida fácil no frágil meio-campo do time do Morumbi. O resultado foi injusto, o São Paulo não mereceu marcar o seu gol, que por sinal foi feito em posição de impedimento.

Rogério Ceni – 5

Não teve culpa nos gols, mas também não fez nenhuma defesa importante.

Paulo Miranda – 4,5

Defensivamente foi menos pior do que Carlinhos, ofensivamente apareceu tão pouco quanto.

Tolói – 4

No primeiro gol estava fazendo a cobertura (não se sabe de que) e no segundo estava marcando seu companheiro de zaga (e vice-versa).

Lucão – 4

Assim como toda a sistema, falhou no gol de Geuvânio e junto com o companheiro, não marcou ninguém no segundo gol.

Carlinhos – 3

Ofensivamente esboçou algo parecido com futebol no começo do primeiro tempo, mas logo voltou a sua programação normal e não acertou qualquer jogada. Defensivamente fez um bom trabalho auxiliando Geuvânio, Lucas Lima e quem mais jogasse pelo seu lado do campo a chegar ao gol do São Paulo.

Denilson – 3

Totalmente ineficaz no ataque e péssimo na marcação. No lance do gol de Geuvânio literalmente para de acompanhar o meia-atacante santista e deixa a defesa completamente vendida na jogada, já no segundo gol, não faz a cobertura da lateral direita, que deveria ser sua função principal.

Hudson – 5,5

Como volante no primeiro tempo foi razoável, como lateral, na segunda etapa, passou a avançar mais e criou algumas boas jogadas, mas defensivamente falhou feio no segundo gol do Santos.

Wesley – 5,5

No primeiro tempo apoiou muito pelo lado direito, suprindo a ineficiência de Paulo Miranda ofensivamente. Foi apagado na etapa final, quando Hudson passou a apoiar mais pela direita e acabou deslocado para o meio.

Ganso – 3,5

Fez uma só jogada a partida inteira, não apareceu nenhuma outra vez.

Michel Bastos – 6,5

Continua sendo a válvula de escape única do time. Vai na defesa buscar a jogada, leva ela pro ataque e fez ótimos cruzamentos. No segundo tempo, diante da retranca santista, sumiu do jogo.

Pato – 4,5

Não apareceu muito no primeiro tempo e no segundo só apareceu de forma negativa, até a achar uma assistência para Luis Fabiano. De modo geral esteve sonolento em campo, parecia que estava dormindo.

Luis Fabiano – 6,5

Entrou no segundo tempo e mexeu um pouco com o ataque são-paulino, bem carregando a bola e também chamando a atenção da marcação e conseguiu marcar um gol, mesmo impedido.

Centúrion – 5

Tentou dar velocidade ao ataque, mas além da retranca estar forte, o time não ajudou acompanhando.

Milton Cruz – 4

Não sei nem se é justo dar nota pra um treinador que não é treinador de verdade. Não sei se alguém realmente esperava alguma coisa dele. Eu gosto da ideia dos três volantes, mas precisam ser três volantes que querem jogar, Denilson, por exemplo, claramente não quer.

Time – 3

Não tem alma, garra e muito menos futebol. Chega a dar vergonha pensar que todos que entraram em campo hoje ganham quase um milhão de reais pra jogar bola.

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base. Repórter da São Paulo FC Digital
This entry was posted in Promessas do futebol. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>