Conhecendo o adversário: uma Hungria que oferece pouco perigo

No Mundial sub-20 a Seleção Brasileira definitivamente não entra como favorita. Além do mau desempenho no Sul-Americano, Alexandre Gallo fez uma convocação muito contestada e acabou demitido dias depois, deixando o Brasil em situação difícil. Rogério Micale assumiu com a complicada missão de comandar uma Seleção, que ele não escolheu, rumo a superação.

O primeiro desafio foi contra a Nigéria, adversário mais forte do grupo e os jovens brasileiros surpreenderam. Com show dos xarás Gabriel Jesus, do Palmeiras e Gabriel Boschilia, do São Paulo, o Brasil conseguiu uma importante vitória por 4 a 2.

O próximo jogo será na madrugada de quarta para quinta-feira, às 4h, contra a Hungria e vamos conhecer um pouco mais dela nesse post.

Um adversário que não oferece muito risco

Seleção húngara comemorando gol contra a Coréia do Norte

Seleção húngara comemorando gol contra a Coréia do Norte

Assim como o Brasil, a Hungria também surpreendeu em seu primeiro jogo. Se a Seleção tinha uma difícil missão contra uma forte Nigéria, os Húngaros enfrentaram a fraca Coréia do Norte, mas ninguém esperava que vencessem com tanta facilidade.

Com três gols do atacante Mervó, os europeus venceram por 5 a 1. Uma sonora goleada, que pode dar confiança para um time que passou longe de surpreender na Eurocopa sub-19 do ano passado.

Com a mudança de um ou dois jogadores, o time que disputa o Mundial é bem semelhante ao que disputou o torneio europeu.

Parte da fase final do torneio única e exclusivamente por ser o país-sede da competição, a Hungria foi muito mal. Venceu apenas um de três jogos, marcando quatro e sofrendo dez gols, incluindo uma goleada arrasadora de Portugal, por 6 a 1, com direito a show e quatro gols do craque André Silva.

A única vitória veio contra Israel, em um apertado 2 a 1, em que o time húngaro precisou segurar o resultado com muita força defensiva.

Ausências de peso

Não bastasse a Seleção húngara não ser das mais talentosas, eles ainda estão sem aquele que foi seu principal jogador na Euro sub-19: Szabolcs Varga, do Hereenven, da Holanda, acabou sendo decisivo para o time conquistar a terceira colocação do grupo e garantir a vaga no Mundial.

Kristof Polgar, do Liverpool

Kristof Polgar, do Liverpool

Varga acabou ficando de fora da convocação justamente por conta da sua transação para a Holanda, no meio do ano passado. Enquanto a maioria dos jogadores do time já atuam em nível profissional na Hungria, o jovem acabou perdendo espaço ao atuar apenas entre os juniores na Holanda.

Dar preferência a jogadores que já atuam entre os profissionais, aliás, é uma das características do técnico alemão Bernd Storck, que também deixou de fora da sua convocação o zagueiro Kristof Polgar, que defende o Liverpool e o goleiro Erik Bukran, do Hull City.

Os dois foram chamados para a convocatória preliminar, mas ficaram de fora da lista final.

Kalmar, a grande estrela

Kalmar marcando contra a Coréia

Kalmar marcando contra a Coréia

Sem Varga, a grande estrela do time (e já era apontado assim, mesmo na Euro sub-19) é Zsolt Kalmar, do Red Bull Leipzig, da Alemanha.

O jovem meia tem sido bastante valorizado internacionalmente. Ele já estreou pela Seleção principal do país e atualmente é titular na Alemanha, onde atua pela segunda divisão. Normalmente caindo pelo lado esquerdo do ataque, é a principal força ofensiva do da Hungria, com grande capacidade de conduzir a bola e bom chute de média distância, além de sempre levar perigo nos cruzamentos.

Além dele, outro destaque é Marió Nemeth, que ainda está no futebol húngaro, mas com certeza não por muito tempo. Camisa 10 do time e responsável por cadenciar o jogo, Nemeth já está na mira de diversos times dos grandes centros europeus.

Vale ficar de olho também no forte atacante Mervó, que também ainda não deixou o país e faz muito bem o pivô, protegendo a bola e concluindo com o giro sobre os atacantes.

Estilo de jogo – força

Mervó, autor de um hat-trick contra a Coréia do Norte

Mervó, autor de um hat-trick contra a Coréia do Norte

A Hungria foca muito seu jogo no lado esquerdo do campo, mas na verdade isso não é uma preferência ou tática, é simplesmente porque Kalmar costuma atuar desse lado. Aonde o jovem meia do Red Bull Leipzig estiver, será a área do campo que a Hungria mais usará.

Outra característica do ataque é forçar a jogada em cima de Mervó, que tentará ganhar dos zagueiros usando a sua qualidade física. Contra Lucão e Marlon será uma batalha muito difícil para ele fazer esse tipo de jogada, mas é preciso ficar ligado nos momentos em que ele buscar a tabela com Zsótér. Dos três gols de Mervó na estreia, dois foram com passes do camisa 11.

O jogo todo deles é bastante focado na força e foi assim que eles conseguiram dominar os norte-coreanos a partir do segundo tempo. Apesar da goleada, na primeira etapa o placar estava apenas 2 a 1. Ou seja, ao longo do jogo, a qualidade física dos húngaros se sobressaiu contra os adversários.

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base. Repórter da São Paulo FC Digital
This entry was posted in Mundial Sub-20, Promessas do futebol and tagged , , , , . Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>