Entrevista com Carlão, coordenador técnico da base do Vitória

Neste sábado, junto com Flávio Prado, entrevistei na Rádio Jovem Pan AM o coordenador técnico das categorias de base do Vitória, Carlos Anunciação, mais conhecido no meio futebolístico como Carlão.

O Vitória atualmente é o campeão da Copa do Brasil sub-17 e finalista do Brasileiro sub-20, seu ex-treinador sub-20 é o comandante da Seleção Brasileira sub-17 e três dos seus atletas da geração 98 são bem cotados para o Mundial da categoria: Yan, Eron e Geovane.

Sem papas na língua, Carlão falou sobre tudo, desde o grande momento que vive com o rubro-negro baiano, até as polêmicas envolvendo as categorias de base no nordeste, como a adulteração de idade de vários jogadores.

Captura de Tela 2015-08-26 às 12.30.42“Às vezes você pega um empresário picareta, alguém na cidade que fala: ‘olha, você pra ter vantagem tem que fazer isso”, disse o coordenador. “Aconteceu no passado, com todo jogador de Marabá. Como pode, uma cidade como Marabá, nada contra a cidade, começar a revelar jogador pro Brasil todo”.

Apesar de criticar os “gatos” do futebol, Carlão tem uma visão diferenciada. Segundo o coordenador, o clube tem que avaliar, pois às vezes, o jogador tem potencial para continuar e não pode ser prejudicado por esse erro. Uma avaliação técnica é necessária nesses casos.

“Você tem que avaliar, será que dá pra continuar o trabalho? É difícil os clubes usarem essa ferramenta pra tirar vantagem, pelo contrário. O Vitória tinha um atleta chamado Elkeson, quando ele chegou, o Vitória identificou que ele tinha esse problema de idade adulterada, o Vitória avaliou que ele tinha potencial técnico pra continuar fazendo o trabalho, regularizou e ele prosseguiu”, confessou Carlão. “O Fabão, que foi campeão no São Paulo, quando ele teve no Bahia, ele chegou com idade com problema também. O Bahia avaliou a parte técnica e regularizou”.

A tradição do Vitória em revelar jogadores vem de muito tempo, desde Dida, Alex Alves, Paulo Isidóro. O segredo do sucesso, para Carlão, está na captação dos jovens, que a equipe de Salvador faz por todo o estado da Bahia.

“Além de ter excelentes profissionais, a gente tem um trabalho de captação muito bom e a gente está em um estado que o tamanho ajuda a gente” “O Vitória tem um modelo de nos finais de semana, visitar as cidades do interior, fazer triagem, fazer competições. O Vitória semanalmente faz avaliações, temos o projeto Copa Rubro-Negra, que reune mais de 80 escolinhas para fazer a captação e a partir daí, o Vitória sempre levou vantagem”.

Quanto a safra brasileira, Carlão tem uma opinião firme. Para ele, o Brasil vive uma entressafra e uma lacuna foi deixada por jogadores como Adriano, Robinho e Kaká, que pararam muito cedo e assim deixaram um peso muito grande nas costas de Neymar, que não deveria assumir a responsabilidade que tem na atual Seleção.

Confira a entrevista completa aqui:

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base. Repórter da São Paulo FC Digital
This entry was posted in Promessas do futebol. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>