O que esperar da provável escalação de Dorival para domingo?

O técnico Dorival Júnior deixou pistas do provável time de domingo contra o Cruzeiro, com alguma novidades

Nesta sexta-feira, o técnico do São Paulo, Dorival Júnior, fez mais um treino tático para o jogo de domingo, contra o Cruzeiro. O treinador teve a tão sonhada semana livre para testar diversas escalações e também aprimorar os mais diversos quesitos táticos do time.

Sem poder contar com o meia Cueva, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, Dorival teve que achar alternativas para a sua criação. Ele mostrou que está confiante numa linha defensiva, onde repetiu todos os dias Buffarini, Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar, mas daí em diante as coisas foram bem diferentes.

Dorival Jr

Dorival Jr

Foram várias formações, mas apenas uma se repetiu: a escalação de quinta, foi a mesma usada nesta sexta-feira. O time titular foi: Renan Ribeiro, Buffarini, Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar; Éder Militão, Marcinho, Petros, Hernanes e Marcos Guilherme; Lucas Pratto.

Com esse esquema, o São Paulo passa a jogar com o 4-1-4-1. O tricolor tem uma linha de quatro jogadores na defesa, um volante de contenção, uma linha de quatro meias e um atacante isolado na área. O que esse esquema pode fazer pelo São Paulo no jogo de domingo?

Muita coisa se torna diferente com as peças escolhidas por Dorival. Por exemplo, Éder Militão é o jogador que mais se aproxima de Jucilei, sacado da equipe pois Dorival estava dificuldade de fazer funcionar uma linha com Petros e Jucilei juntos, ambos ocupavam a mesma área do campo. Pra completar, é de conhecimento geral que Dorival não é o maior fã de jogadores lentos, que é o caso do Jucilei, prefere algo que dê mais dinâmica ao meio de campo.

Com Militão, bem mais jovem e leve, o São Paulo passa a ter um volante de contenção com uma maior capacidade de dar dinamismo ao jogo, que deve cadenciar menos o jogo do tricolor. A capacidade defensiva do São Paulo também muda com as novas peças, em especial pelo lado direito.

O maior problema de Dorival vinha sendo a lateral-direita, completamente desprotegida nos últimos jogos. Com a chegada de Petros pela meia direita, o São Paulo passa a ter um marcador específico naquela região do campo, muito parecido com o que fez Rogério Ceni quando utilizou Araruna naquele setor e Buffarini como lateral, naquela que foi a melhor partida do argentino pelo São Paulo.

Com Petros fazendo bem a marcação naquele lado do campo, dificilmente Buffarini ficará sobrecarregado e poderá ser mais uma peça de cobertura da lateral-direita, função que exerce melhor. Petros, nesse caso, dá mais qualidade e velocidade a saída de jogo por aquele lado do campo do que Jucilei daria. O mesmo acontece do outro lado, com Hernanes fazendo a função de meia-esquerda e sendo também responsável pela recomposição daquele lado do campo.

Outra coisa boa dessa função para ambos, é que Dorival fica com uma boa peça de reposição. Jonatan Gomez se sai muito bem como uma arma na recomposição do time pelas laterais.

Militão como volante mais recuado, ainda dá ao time o bônus de poder mudar o esquema para três zagueiros a qualquer momento, sendo apenas preciso recuar mais o jogador, então colocar Hernanes e Petros como volantes e subir os laterais. Tendo uma peça de meio de campo criativa, que hoje não está em campo, é fácil variar o esquema de jogo.

Já Marcos Guilherme e Marcinho são duas peças de velocidade e com Pratto dentro da área, é bem provável que o São Paulo aposte muito nas ultrapassagens com os laterais ou mesmo com seus velozes alas. Por mais que Marcinho tenha menos qualidade técnica, é o único que pode puxar com mais velocidade esse contra-ataque, além do Marcos Guilherme. Todas as outras opções seriam mais lentas, a não ser que Dorival arriscasse Foguete, que vem se destacando nos treinos, como ala direito em vez de lateral.

O tricolor passa a ter um meio dinâmico, capaz de distribuir bem o jogo e recompor a defesa e uma ala ofensiva capaz de puxar o contra-ataque em velocidade. Na teoria tem tudo pra dar certo, em especial contra um Cruzeiro que provavelmente jogará mais uma vez fechado no Morumbi.

Dorival fechou a casinha defensivamente com a proteção de Hernanes e Petros, cada um de um lado da meia e buscou a velocidade com Marcos Guilherme e Marcinho, agora é esperar e ver se a jogada pela ala será a arma fatal para o time se reerguer no Morumbi lotado.

Confira outras escalações usadas por Dorival ao longo da semana

Terça-feira: Renan Ribeiro; Buffarini, Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar; Jucilei, Petros, Thomas, Hernanes e Brenner; Lucas Pratto (4-2-3-1).

- Nessa escalação, Hernanes assume a posição de Cueva como meia centralizado, enquanto Thomas e Brenner ficam mais para os lados do campo. Jucilei e Petros fazem dupla de volantes. -

Quarta-feira: Renan Ribeiro; Buffarini, Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar; Petros, Shaylon, Jonatan Gomez, Hernanes e Marcos Guilherme; Lucas Pratto (4-1-4-1).

- O mesmo esquema utilizado na quinta e na sexta-feira, mas com Petros na função de Militão e Jonatan Gomez na função depois assumida por Petros, além de Shaylon no lugar de Marcinho – 

Quinta-feira: Renan Ribeiro; Buffarini, Arboleda, Rodrigo Caio e Edimar; Militão, Marcinho, Petros, Hernanes e Marcos Guilherme; Lucas Pratto.

- O que foi exposto no texto acima -

Fonte das escalações: Globoesporte.com, com reportagem de Marcelo Prado

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base. Repórter da São Paulo FC Digital
This entry was posted in Promessas do futebol. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>