O pesadelo do rebaixamento acabou, mas o pesadelo da diretoria continua

O São Paulo escapou do rebaixamento, chegou aos 46 pontos, um a menos do que foi estipulado, mas já está livre do risco de cair para a Série B. Até quando?

O risco de cair para a segunda divisão acabou, mas o risco de ter uma diretoria e um planejamento amador em 2018, esse segue firme e forte. A vaidade, o ego, eles seguem reinando dentro do tricolor e prejudicando o clube.

lecoO São Paulo ainda não cumpriu a meta dos 47 pontos, mas pior que isso, não cumpriu seu próprio estatuto. Estatuto, aquele que fez com que muitos, na época da eleição, acreditassem em um futuro melhor, mais profissional. A promessa era de ter pessoas com larga e notória experiência ocupando áreas estratégicas do tricolor, tudo isso com salário alto, para claro, buscar os melhores profissionais do mercado.

O que se viu, na realidade, foram as mesmas pessoas que no São Paulo já estavam, sendo realocadas e remuneradas, muito bem remuneradas, incluindo o presidente e até por isso, questões devem ser esclarecidas. Por exemplo, não haviam metas a serem cumpridas pelos funcionários contratados? Quem avalia essas metas? Quais eram elas? Foram cumpridas?

Aliás, se são todos remunerados, incluindo o presidente, todos estão suscetíveis a serem demitidos, certo? Como isso acontece no São Paulo? Mais de uma centena de conselheiros foram capazes de colocar Leco no poder, eles são capazes também de tira-lo de lá? E se não são, então qual o sentido de remunerar o presidente e qual o sentido de existirem, se não podem interferir no trabalho ou mesmo destituir uma pessoa que não corresponde às expectativas?

Qual a jornada de trabalho definida de funcionários? Qual foi a base para definir notório conhecimento na área? Quem avalia os números da diretoria, financeiros e de metas? Presidente Leco, você mesmo disse que quem não cumprisse suas metas seria demitido, o São Paulo foi ridículo em 2017, de quem era essa meta de fazer um ano tão vergonhoso? Com um ano como esse, é inacreditável que tenha gente dentro do São Paulo que acredite ter cumprido qualquer meta.

Só uma parcela do São Paulo cumpriu alguma meta que seja: a torcida, que apoiou, deu show, lotou estádio e amadureceu muito e agora tem uma nova meta, tem que fazer sua parte, mesmo que não consiga ser a maior responsável, para mudar o que existe hoje no tricolor.

A torcida tem que fazer a sua parte, cobrar sim, inclusive o presidente e funcionários por ele colocados, que não cumprem suas metas, mas importante também é cobrar conselheiros que foram responsáveis por colocar Leco e toda a sua trupe no comando do São Paulo. Só eles são capazes de tirá-lo de lá e a torcida, ela é capaz de fazer o inferno para pressionar essas pessoas a se mexerem.

Domingo tem jogo e tem torcida do São Paulo dando show de novo. Que esse show seja dentro do estádio pressionando as pessoas que devem ser pressionadas, os responsáveis diretos por esse ano horrível, em especial o presidente Leco. Fora ele, temos mais de cem pessoas responsáveis por colocar ele no poder, não é possível que hoje elas estejam satisfeitas com o trabalho que foi feito.

Por ego e vaidade, muitos ficam quietos, na sua, só pra dizer que são alguma coisa dentro do São Paulo. Sem pressão nada vai se mexer, o São Paulo continuará na inércia e a inércia está cada vez mais levando o time pra baixo, basicamente o São Paulo está seguindo a lei da gravidade, apenas isso, com o planejamento e a diretoria atual.

Esse ano o São Paulo se salvou, mas escapar do rebaixamento não é motivo pra comemorar e sim lamentar que mais uma vez o São Paulo teve que lutar contra ele, em vez de brigar por títulos. A grande pergunta é: e 2018, senhor Leco?

 

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base. Repórter da São Paulo FC Digital
This entry was posted in Promessas do futebol. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>