Testes valem a pena? – Opinião: São Bento 2 x 0 São Paulo

A resposta é rápida: VALEM! Só que nesse jogo não foi um teste muito bem feito.

Sem tempo para pré-temporada, Dorival Júnior resolveu começar 2018 com vários testes. Logo na estreia um time praticamente C do São Paulo foi a campo, com diversas apostas, tanto da base, como experientes jogadores profissionais. O resultado não foi bom, mas o teste valeu a pena?

Foto de Rubens Chiri

Foto de Rubens Chiri

Eu sou sempre a favor de testar a base, especialmente em um campeonato como o estadual. Não discordo da forma e nem do momento em que o teste ocorreu, mas discordo das escolhas que foram feitas para ele.

É certo que Dorival precisa ver certos nomes que praticamente não atuaram sob o comando dele, casos de Bruno, Aderllan e Maicosuel, por exemplo, mas o que isso faz com o time como um todo?

Na escalação de Dorival contra o São Bento, o São Paulo não tinha criatividade no meio de campo e também não tinha velocidade pelas laterais. O time ficou lento, o meio de campo com Araruna, Paulo Henrique e Pedro Augusto é devagar, não oferece ofensividade e Maicosuel não começou bem o ano, enquanto nas pontas não havia um jogador sequer de velocidade para ser válvula de escape. Ineficiência total no ataque, que na primeira etapa sequer fez o goleiro adversário trabalhar.

Honestamente, nesse tipo de situação, teria utilizado ao menos Shaylon no meio, pois mudaria a dinâmica de jogo e teria Cipriano ou Boia nas pontas, pois ambos são velozes e agudos, podem criar diferenciais no ataque.

No segundo tempo, Araruna recuou e Paulinho avançou. O time ficou um pouco mais criativo, uma vez que a qualidade do Paulinho é justamente a visão de jogo e o toque de bola. Porém, pelas laterais, seguia o show de horror de Bruno e Reinaldo. Os gols saíram ambos pelo lado do Reinaldo, lado que já havia sido fonte das principais chances do São Bento. No 1º gol, além da falta de presença de Reinaldo, Maicosuel errou e Rony também errou.

Aliás, Rony é daquelas coisas que a gente que acompanha a base custa a entender. Jardine adora ele. Ele recebe chance nos profissionais. Porém é o pior zagueiros dos 96 até os 2000 que o São Paulo tinha em Cotua. Na sua própria categoria, Bremer era bem superior e não ficou pela pedida do Desportivo Brasil, hoje é do Galo e Truyts também era melhor, hoje é do Grêmio (está emprestado ao Tubarão-SC). Na /96, certamente Kal merecia uma chance muito mais do que o companheiro. Na /98, Rodrigo é muito bom, ainda tem Igor Neves. Na /99 Diego e Walce e por aí vai, mas temos que respeitar a decisão do treinador.

Gosto que Dorival queira testar os jogadores e apoio 100% que a base seja mais utilizada. Porém discordo completamente da forma como armou o time hoje, custou uma estreia melhor. Dava pra ter montado uma equipe mais equilibrada e aguda, ainda assim fazendo testes.

O jogo foi ruim, muito pela escalação desequilibrada, mas é só o primeiro jogo e foram testes. Há fé de que teremos um ano melhor.

 

 

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base. Repórter da São Paulo FC Digital
This entry was posted in Promessas do futebol. Bookmark the permalink.

One Response to Testes valem a pena? – Opinião: São Bento 2 x 0 São Paulo

  1. Adenildo Francisco Sampaio says:

    Não gostei nada do vi e se continuar assim não vai nem se classificar, Reinaldo é jogador de time pequeno, e essa dupla sertaneja que o Dorival escalou Paulo Henrique e Pedro Augusto, não tem condições de vestir a camisa do São Paulo, sou a favor de lançar a base, mais jogador que tem futuro promissor caso do Igor, Liziero e Brenner.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>