Acordo com a adidas é mais do que nova fornecedora para são-paulinos

O São Paulo está nos trâmites internos finais para fechar oficialmente com a adidas como sua nova fornecedora de material esportivo, que entrará no lugar da Under Armour.

Para muitos tricolores, o acerto foi motivo de comemoração. O que se viu foi muita alegria dos torcedores do São Paulo nas redes sociais, inflamando, inclusive, as redes da própria adidas, tanto no Instagram, como no Twitter e no Facebook. Para uma outra parcela de torcedores, no entanto, foi hora de criticar ou dizer que não comemora fornecedor.

Screen Shot 2018-03-01 at 16.01.33Só que vamos parar pra pensar, fechar com a adidas significou mesmo apenas um novo contrato de fornecimento de material para o são-paulino?

O que foi comemorado tem na verdade um significado muito maior. O acúmulo de mais de meia década sem títulos e as subsequentes desastrosas gestões do São Paulo, colocaram os torcedores em uma situação dramática. Por bom tempo, cada novo dia, uma nova notícia sempre parecia ser ruim, sempre mostrando o time em um caminho direto para outro desastre e nesse ambiente que surge o acerto do São Paulo com a adidas, uma das maiores marcas de material esportivo do mundo.

Quando acertou com a Under Armour, o São Paulo também não vivia momento bom. Como tem sido padrão nos últimos anos, o discurso era de reconstrução. A empresa norte-americana veio para o Brasil dar seu pontapé inicial no futebol e escolheu o São Paulo, acordo que chegou cheio de esperança de inovação. Esperança, inclusive, de ajudar o São Paulo a se reconstruir. Esperança que quase já morreu logo na largada, ao ser revelada uma estranha comissão pelo negócio, mas o barco seguiu.

Seguiu por mais dois anos e chegou ao fim antecipado no ano passado. O sentimento de que as coisas estavam dando errado de novo ficou forte no torcedor tricolor e provavelmente também na diretoria. Junto ao fim do acordo, o São Paulo se encontrava em um de seus anos mais difíceis, em uma briga de foice para não ser rebaixado para a Série B.

O medo de que tudo desse errado em todas as áreas começa a ficar cada vez maior. O ano começa, novamente em reconstrução, o São Paulo não encanta, não agrada e pra piorar, suas contratações parecem desconexas da montagem do elenco. O que era medo de ter uma diretoria tomando decisões erradas, começa virar desespero de ver o time cada vez mais fundo no poço.

Nenhuma notícia trazia alento ao torcedor são-paulino, que nesse desespero, pode estar, mesmo que inconscientemente, vendo a distância entre o seu time do coração e os rivais ficar exatamente do tamanho que já está neste Paulistão. O São Paulo está praticamente disputando com times do interior, enquanto seus rivais todos já estão acima na tabela, em outro bolo, exclusivo deles.

Dentro deste cenário todo, assinar com a adidas significa bem mais do que apenas um novo acordo de material esportivo. Significa uma ponta de esperança e até um certo alívio, de que ainda é possível seguir o caminho certo, de que há sim como sair deste looping de reconstrução no qual o São Paulo está há alguns anos.

Vem desse acordo a sensação de que o São Paulo ainda tem credibilidade, que por mais que muitas vezes não pareça, ainda é o São Paulo que os torcedores aprenderam a amar, que conquistou muitos títulos e que já foi o melhor do mundo por três vezes. O sentimento do torcedor são-paulino não é simplesmente a felicidade de ter uma nova fornecedora, é uma mistura de alívio e esperança, do resgate do que o clube um dia foi.

Significa tudo isso porque o São Paulo fechou o acordo que vislumbrou em toda essa reconstrução, com parceria de royalties e ideia de distribuição igualmente agressivas, investimento para nova loja e claro, uma marca entre as maiores do mundo, com a grandeza que o São Paulo não quer perder jamais.

É compreensível o torcedor que lembra da grandeza do clube e não vê motivos para comemorar o acerto, mas é ainda mais compreensível o torcedor que entende o momento do clube e enxergou muito mais do que o anúncio de uma nova fornecedora nesse acordo.

 

About Gabriel Fuhrmann

Jornalista formado desde 2011, especializado em futebol de base. Repórter da São Paulo FC Digital
This entry was posted in Promessas do futebol. Bookmark the permalink.

2 Responses to Acordo com a adidas é mais do que nova fornecedora para são-paulinos

  1. Kewerson Luna Ferreira de Sousa says:

    Recomeço do São Paulo na luta contra um câncer que é esses dirigentes como Aidar, Leco e outros

  2. Zito Pereira Neto says:

    Não é apenas uma sensação, mas a certeza de que a instituição São Paulo Futebol Clube é confiável, tem uma história de sucesso, foi modelo de gestão administrativa por décadas, teve grandes nomes que o dirigiram.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>