O dia em que tive a infelicidade de comprar um motorola

Ah, se eu pudesse eu voltaria no tempo e compraria um celular de qualquer outra marca, mas não posso e tenho que conviver com o pior celular e o pior atendimento que já vi na minha vida.

Como sou jornalista (todos aqui sabem disso) o celular é muito importante para mim. A internet móvel faz toda a diferença para quem quer sempre estar conectado com suas fontes e com as informações em tempo real.

Pensando nisso que no dia 2 de fevereiro de 2012 eu comprei um Motorola Razr XT910 – esse aqui (http://www.youtube.com/watch?v=kpe2tR8RdUs) -. Um celular nada barato, mas que pelo tanto de funcionalidades, parecia compensar seu valor, que ainda está bem abaixo do preço pago em um iPhone, por exemplo.

Durante dois meses tudo foi muito bem e eu realmente estava adorando o celular, pois tinha muitas funções sensacionais. No entanto, no dia 17 de Abril, acabou a bateria durante o dia (algo que já era normal, a bateria dura menos que os casamentos do Fábio Jr). Infelizmente, quando cheguei em casa para carregar o celular, uma triste surpresa: Não carregava, não dava sequer sinal de vida.

Como sou um cara com muita sorte nessas horas, não tem nenhuma assistência técnica perto do meu trabalho. A mair próxima era na Av. Iraí, em Moema (trabalho em Cidade Monções).

No primeiro dia eu perdi meu almoço indo até a loja e descobri que eles exigem que você entregue o carregador do celular. Voltei ao trabalho sem almoçar e tendo gasto 20 minutos a mais do que o permitido de hora de almoço na agência.

No segundo dia eu fui novamente a loja, dessa vez com o carregador, mas falaram que precisava ter o número de IMEI do celular na nota fiscal. Mais uma vez voltei ao trabalho sem almoçar e agora gastando quase 40 minutos a mais na hora do almoço, devido a enorme fila que tem na loja Center Service, da Av. Iraí, 438.

No terceiro dia fui até a loja YellowCom do shopping Eldorado, onde havia comprado o aparelho e tive que pedir uma declaração de compra. Mais uma vez não comi nada e ainda estourei em 20 minutos a hora de almoço.

No quarto dia, que já era dia 23 de abril, (a história é longa, hein?) fui novamente até a Center Service e a atendente falou que não poderia receber o celular pois faltava um carimbo na declaração de compra. Eu estava com a nota fiscal, a declaração de compra, o carregador e se ela pedisse eu dava até um rim pra ela, mas ela não poderia receber meu celular na assistência. Adivinhem? Mais uma vez não consegui almoçar e ainda estourei o meu tempo de almoço.

No restante da semana estava bastante ocupado na agência e não consegui voltar a loja. Somente no dia 30 de abril, uma segunda-feira, retornei a YellowCom do shopping Eldorado para pegar o bendito carimbo e no dia 2 de maio entreguei meu celular na autorizada. ALELUIA!

Além de me fazer perder entrevistas, notícias e dificultar em uns 1000% o meu trabalho como jornalista, por me deixar tanto tempo sem celular, a Motorola ainda contribuiu para que eu perdesse três quilos (isso não foi lá tão ruim) e ainda perdesse quase três horas do meu banco de horas na agência (isso foi péssimo).

Quinze dias depois peguei meu celular de volta. SEM BATERIA, não pude testá-lo na loja, mas eu já imaginava que daria merda. Um serviço que foi tão lixo durante todo o atendimento, não trabalharia corretamente agora.

Na quinta-feira, 17 de maio, consegui pegar meu celular de volta(Sim, exatamente um mês após a quebra dele). Claro que continua quebrado, agora os defeitos são diferentes. Ele liga, mas a cada cinco minutos entra em modo de resfriamento e, ou limita funções ou desliga. Isso sem falar na bateria, que dura incríveis e memoráveis momentos entre 45 minutos e duas horas.

Não consigo deixar meu celular na assistência que levei antes na Av. Iraí, pois ela não atende Motorola desde o dia 10 de maio. E agora Motorola? Quer acabar com meu banco de horas na agência? Quer me deixar quanto tempo sem celular?

 

7 Responses to O dia em que tive a infelicidade de comprar um motorola

  1. janiomarq says:

    Tenho um LIXOOM 2 e arrependi de tê-lo comprado. Deixei o infeliz na péssima assistência técnica por duas vezes, durante a garantia, pelo mesmo motivo, bateria, problema que não foi resolvido. Agora, tenho um tablet que não funciona, e é isso. Vou migrar para a maçã.

  2. Sandra says:

    Também estou arrependida de ter comprado essa porcaria!
    Tô rezando para estragar, para comprar o iphone.
    Lixo de celular!

  3. Alexandre Costa says:

    Passei pelo mesmo problemas que os colegas citaram. Meu Motorola ficou ruim depois de 1 ano, levei a assintencia tecnica da mesma e voltou a apresentar problemas 2 dias depois do concerto. Voltei la e depois de 5 dias devolveram o aparelho que novamente depois de 2 dias, simplesmente apagou. E esse não foi o primeiro celular da marca a dar problemas comigo.

  4. Eu também estou com problemas no meu MOTOROLA DEFY… toda hora trava quando acesso os aplicativos, já levei na assistência umas 5 vezes, consertam e dias depois voltam os mesmos problemas. Futuramente comprarei outro celular, mas tenham certeza não será da marca MOTOROLA !

  5. Mickey says:

    Estou tendo o mesmo problema com meu Motorola XOOM 2 / 10.1 ” modelo mz-616.

    Mas o pior que moro no interior então só pra chegar até assistência técnica leva dia, se não meses.

  6. gabrielfuh says:

    Nada foi feito. A Motorola simplesmente desencanou de mim.

  7. geovson magno says:

    geovsonmagno@gmail.com
    Vejo q seu sofrimento ocorreu no início do ano, agora sou eu que estou super .arrependido com essa mer… de zazr que só anda em modo de resfriamento ,.
    A motorola não resolve o problema e a bateria não dura uma hora sequer

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>